SITE OFICIAL DA CIDADE DE MONTALVÂNIA
WWW.MONTALVANIA.COM.BR


Role para baixo
     

montalvania@montalvania.com.br
(77) 9 9949-4184 / 9 9140-6265

 Salário mínimo
  10 Agosto de 2017
SALÁRIO MÍNIMO VAI SUBIR DOS ATUAIS 937 REAIS PARA 979 EM 2018
Temer sancionou, com vetos, a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2018.

 A lei estabelece metas e prioridades do governo para o ano e orienta a elaboração da lei orçamentária anual. 

O texto foi publicado na edição desta quarta-feira do Diário Oficial da União e estabelece aumento de 4,5% no salário mínimo, dos R$ 937 atuais para R$ 979 em 2018.

 Star Chic
  08 Agosto de 2017
ANÁLISE CAPILAR GRÁTIS
Alopecia é a redução parcial ou total de pelos ou cabelos em uma determinada área de pele.

Ela apresenta várias causas, podendo ter uma evolução progressiva, resolução espontânea ou controlada com tratamentos específicos. Quando afeta todo os pelos do corpo, é chamada de alopecia universal.

A STAR CHIC COSMÉTICOS oferece produtos agem nutrindo e fortalecendo o bulbo capilar , além de produtos que disfarçam (maquiagem) temporariamente as falhas durante o tratamento.

Realize uma ANÁLISE CAPILAR GRÁTIS e descubra como anda a saúde dos seus fios!?

Agende seu horário (38) 9 9728-5020

 BR 135
  08 Agosto de 2017
OBRAS
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) já deu início a construção das três pontes no Lote 5 que fazem parte das obras de implantação da BR-135/BA.

As pontes serão construídas sobre o Rio Côcos (duas pontes) e Rio Itaguari (uma ponte), localizados entre o município de Côcos e a divisa com o estado de Minas Gerais. 

A Top Engenharia, responsável pela execução do serviço, já realizou a supressão vegetal das áreas e atualmente as atividades nas margens dos dois rios estão voltadas para a execução dos serviços de fundação das pontes.

 Meio Ambiente
  08 Agosto de 2017
PREFEITOS DEBATEM DESTINO DE RESÍDUOS

O prefeito de Januária, Marcelo Félix Alves de Araújo, o Dr. Marcelo Félix (PSB), foi o anfitrião, na sexta-feira da semana passada do encontro ordinário do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Sócio econômico da Microrregião do Alto Médio São Francisco (Ciamesf). Na pauta, a discussão sobre a destinação dos resíduos sólidos gerados em cada cidade uma das 15 cidades-sedes dos municípios que integram a entidade.

O destino do lixo urbano é responsabilidade das prefeituras por força de lei, mas poucos municípios conseguiram até aqui resolver o que fazer com ele. A regra quase geral é jogar tudo em lixões a céu aberto nas periferias das cidades e queimar os dejetos, com os danos óbvios ao meio ambiente. No caso do Ciamesf, há a tentativa de solucionar o problema de forma consorciada, na tentativa de redução dos custos desse processo.

Dez prefeitos presentes ao encontro abriram espaço para que o representante da empresa Saneamento Ambiental Brasil (Sanbras), vendesse seu peixe. O engenheiro Eualdo Lima apresentou projeto que classifica como inovador para o manuseio dos resíduos sólidos, com o uso de uma usina de triagem de resíduos, já adotada pelo município de Januária.

MANGA FICOU DE FORA

A empresa diz que seu processo de reciclagem transforma 100% do lixo urbano em energia renovável, carvão energético, materiais para construção civil, e os rejeitos depositados em estrutura semelhantes ao aterro sanitário. Resta saber se os prefeitos de municípios quebrados como são os do extremo Norte de Minas vão pagar por isso, já que a energia gerada do lixo pode cobrir os custos dos projetos.

Estiveram em Januária, além do anfitrião Dr. Marcelo, outros noves prefeitos. Itacarambi, Pedra de Maria das Cruz, Montalvânia, Cônego Marinho, Miravânia, São João das Missões, Bonito de Minas, Ubaí, Icaraí de Minas deram o ar da graça no encontro do Ciamesf, que também elegeu sua nova mesa diretoria para os próximos dois anos. O prefeito de Manga, que havia participado de encontro anterior com ânimo e disposição, faltou ao encontro do Ciamesf em Januária. Manga ainda não resolveu o problema do seu lixo, mas o prefeito parece está à volta com outras prioridades. Fonte: www.luisclaudioguedes.com.br

 BR 135
  07 Agosto de 2017
PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Com o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais, o Programa de Educação Ambiental (PEA) promoveu uma roda de conversa com os professores da rede pública de Montalvânia (MG) para reforçar a importância do trânsito seguro.

Após assistirem ao documentário “Luto em Luta” que trata dos acidentes de trânsito em São Paulo, com depoimento de vítimas e familiares, os professores prontamente se comprometeram a desenvolver ações junto à comunidade escolar para formar cidadãos mais conscientes.

 Política
  04 Agosto de 2017
CASO AVAMS:TRIBUNAL INOCENTA DEPUTADO
Por unanimidade, Justiça mantém direitos políticos de Paulo Guedes e reduz multa por uso de instalações da associação de vereadores.

Saiu o veredicto da 8ª Câmara Cível Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) para o julgamento em segunda instância da ação em que o Ministério Público de Minas Gerais acusava o deputado estadual Paulo Guedes (PT) de ter misturado as esferas pública e o privada com a utilização das instalações da Associação dos Vereadores do Norte de Minas (Avams) no período em que presidiu a entidade, entre os anos de 2001/2004. Segundo a acusação, que tramitou por longos 14 anos, o petista teria usado estrutura de sala, computador e telefone da entidade, além de um funcionário contratado, para a diagramação do extinto jornal ‘Vale do Sol’, de sua propriedade,

Os desembargadores Teresa Cristina Cunha Peixoto, Paulo Balbino e Edgard Penna Amorim revogaram, por unanimidade, decisão de primeira instância que suspendia os direitos políticos do deputado Paulo Guedes pelo prazo de oito anos. Os desembargadores entenderam que não houve ilícito que justificasse a improbidade administrativa apontada pelo Ministério Público, que acusava o então vereador Paulo Guedes de utilizar as instalações da Avams para uso privado de diagramação de jornal de sua propriedade. Caso a condenação tivesse sido mantida por turma colegiada do Tribunal de Justiça, deputado entraria no rol dos políticos incluídos no escopo da Lei da Ficha Limpa e teria seus direitos políticos suspenso por oito anos -  o que o impediria, por exemplo, de disputar as próximas eleições.

O TJMG manteve, no entanto, parte da sentença da juíza Rozana Silqueira da Paixão, da 1ª Vara da Fazenda Pública em Montes Claros, de março de 2015, que condenou o petista ao pagamento de multa civil no valor de três vezes da remuneração que recebeu enquanto vereador do município de Manga no ano de 2001. Os desembargadores condenaram Paulo Guedes ao pagamento ao valor equivalente ao de sete meses de aluguel pelo uso da estrutura da Avams, o que daria o valor atualizado de R$ 24,5 mil. Apesar da penalidade ter sido atenuada, os advogados do deputado decidira que vão recorrer da aplicação da multa.  

O outro réu na ação, Renato Lopes Santos, que à época cuidava da diagramação do jornal ‘Vale do Sul’ e atuou como funcionário temporário da Avams, foi inocentado das acusações  do Ministério Público em seu inteiro teor. 

Entenda o caso

O deputado Paulo Guedes fica livre agora de uma ameaça à sua carreira que o acompanhada desde fevereiro de 2004, com a denúncia oferecida ao Ministério Público do Estado de Minas Gerais pelo então ativista do chamado controle social e hoje advogado Fábio Henrique de Carvalho Oliva, com base em depoimentos da ex-secretária executiva da Associação dos Vereadores da Área Mineira da Sudene (Avams) Maria de Fátima Antunes Rocha. A funcionária acusou o petista de utilizar a estrutura da entidade para diagramação de algumas edições do extinto jornal "Vale do Sol".

Segundo o deputado, demitida por ele durante sua passagem pelo comando da Avams e proibida de realizar evento privado em que utilizava o nome da associação, a ex-secretária orquestrou uma “espécie de vingança ao se associar ao notório jornalista Fábio Oliva para levar a denúncia ao Ministério Público". A briga rendeu uma ação trabalhista, que, segundo o deputado, praticamente sugava toda a arrecadação da Avams durante o período em que presidiu a associação.

Após acolher a denúncia, o Ministério Público acionou o deputado Paulo Guedes em ação civil pública por ato de improbidade administrativa sob a acusação de que teria utilizado a estrutura física da Avams no período em que presidiu a entidade (2001/2004). Sala de escritório, computador e telefones, além dos serviços do outro réu na ação, Renato Lopes Santos, diagramador e funcionário temporário da associação, foram ‘cedidos’ para a confecção de algumas edições do extinto jornal ‘Vale do Sol’, publicação extemporânea e sem circulação definida, que dava apoio às atividades parlamentares do mandato do petista quando foi vereador por Manga.

Em março de 2015, onze depois do início da ação, a juíza Rozana Silqueira da Paixão, da 1ª Vara da Fazenda Pública em Montes Claros, sentenciou o deputado Paulo Guedes por improbidade administrativa e o condenou ao pagamento de multa civil no valor de três vezes da remuneração que recebeu enquanto vereador do município de Manga no ano de 2001, à suspensão dos seus direitos políticos por oito anos e proibição de contratar com o Poder Público ou receber incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de 10 anos. Renato Lopes também tinha sido condenado ao pagamento de multa e proibição de acesso a contratos com entes públicos. A condenação de ambos foi revista pelo TJMG. Fonte: www.luisclaudioguedes.com.br  

 INSS
  01 Agosto de 2017
RECURSOS INDEVIDOS
INSS quer recuperar mais de 3,8 trilhões de reais pagos indevidamente, inclusive "a falecidos"

O INSS informou que tenta recuperar para os cofres públicos mais de R$ 3,8 trilhões em recursos que foram pagos indevidamente após a “cessação do benefício”. De 1995 a 2016, de acordo com documento obtido pela Coluna, mais de 7 milhões de pessoas receberam recursos indevidos da Previdência. 

FALECIDOS

Cerca de R$ 6,7 bilhões foram pagos para beneficiários já falecidos. O INSS aponta outros casos de pagamentos ilegais, como a manutenção de auxílio-doença para pessoas que retornaram ao trabalho. 

“LAPSO”

Segundo o INSS, há “lapso” de até 40 dias entre registro do óbito e efetiva comunicação ao Instituto, “tornando inviável o bloqueio do crédito enviado à rede bancária”. O INSS classifica mais de R$ 1 tri como difícil de recuperar: “débitos prescritos, não identificação do recebedor e sobrestamento/cancelamento por decisão judicial”.

 BR 135
  31 Julho de 2017
BR-135 BA/MG

A equipe de Gestão Ambiental acompanhou o Ministro dos Transportes, Maurício Quintella, durante a visita realizada ao Lote 5 da BR-135 BA/MG. 

O ministro esteve na frente de obras para acompanhar o andamento dos trabalhos. Os engenheiros da equipe tiveram a oportunidade de conversar com Quintella sobre a Gestão Ambiental executada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) por conta do empreendimento e explicaram um pouco sobre os programas ambientais realizados na região. 

A visita também foi acompanhada por autoridades locais e por representantes da Top Engenharia, responsável pelas obras.

 Política
  31 Julho de 2017
CASO AVAMS:SEMANA DECISIVA PARA DEPUTADO
Justiça julga na quinta-feira suposta improbidade de Paulo Guedes na presidência de associação de vereadores.

Deputado mais votado nas últimas eleições em Minas Gerais, o petista Paulo Guedes enfrenta esta semana novo capítulo da novela que teve início em fevereiro de 2004, com a denúncia oferecida ao Ministério Público do Estado de Minas Gerais pelo então ativista do chamado controle social e hoje advogado Fábio Henrique de Carvalho Oliva, com base em depoimentos da ex-secretária executiva da Associação dos Vereadores da Área Mineira da Sudene (Avams) Maria de Fátima Antunes Rocha, que acusou o petista de utilizar a estrutura da entidade para diagramação de algumas edições do extinto jornal "Vale do Sol".

Segundo o deputado, demitida por ele durante sua passagem pelo comando da Avams e proibida de realizar evento privado em que utilizava o nome da associação, a ex-secretária orquestrou uma “espécie de vingança ao se associar ao notório jornalista Fábio Oliva para levar a denúncia ao Ministério Público". A briga rendeu uma ação trabalhista, que, segundo o deputado, praticamente sugava toda a arrecadação da Avams durante o período em que presidiu a associação.

Após acolher a denúncia, o Ministério Público acionou o deputado Paulo Guedes em ação civil pública por ato de improbidade administrativa sob a acusação de que teria utilizado a estrutura física da Avams no período em que presidiu a entidade (2001/2004). Sala de escritório, computador e telefones, além dos serviços do outro réu na ação, Renato Lopes Santos, diagramador e funcionário temporário da associação, foram ‘cedidos’ para a confecção de algumas edições do extinto jornal ‘Vale do Sol’, publicação extemporânea e sem circulação definida, que dava apoio às atividades parlamentares do mandato do petista quando foi vereador por Manga.

Em março de 2015, onze depois do início da ação, a juíza Rozana Silqueira da Paixão, da 1ª Vara da Fazenda Pública em Montes Claros, sentenciou o deputado Paulo Guedes por improbidade administrativa e o condenou ao pagamento de multa civil no valor de três vezes da remuneração que recebeu enquanto vereador do município de Manga no ano de 2001, à suspensão dos seus direitos políticos por oito anos e proibição de contratar com o Poder Público ou receber incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de 10 anos. Renato Lopes também foi condenado ao pagamento de multa e proibição de acesso a contratos com entes públicos.

Ao contrário do que o agora advogado e jornalista Fábio Oliva escreve nos seus inúmeros textos sobre o assunto, Paulo Guedes não foi condenado por ter alienado um veículo da Avams para quitar a dívida que tinha com Renato Lopes pela prestação dos serviços de diagramação do jornal ‘Vale do Sol’ .

Veja o que a juíza Rozana Silqueira Paixão registrou em sua sentença sobre o assunto:   

- Por fim, importante frisar que não restou demonstrada qualquer irregularidade na venda de veículo de propriedade da Avams ao segundo réu. Em verdade, tal fato não é objeto da lide, haja vista que o Ministério Público sequer citou tal venda em sua exordial [ação que inaugura um processo] ou em sede de alegações finais. 

Deputado diz que denúncia é frágil e condenação será revista

Após adiar por duas vezes o julgamento do caso em segunda instância, o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) remarcou para a próxima quinta-feira (3), o julgamento da ação em que o Ministério Público acusa o deputado Paulo Guedes de ter misturado o público e o privado ao tentar fazer da Avams a casa da mãe Joana no período em que presidiu a entidade. O político nega as acusações.

“Essa condenação é absurda, ela é resultado de uma tramoia que usaram para prejudicar minha carreira, por pura perseguição política”, diz o petista. Segundo o político, o próprio Ministério Público anexou um laudo realizado in loco na sede da Avams em que se atesta que não havia qualquer evidência de que o local pudesse ter sido sede de uma redação de jornal.

“A denúncia é frágil e direcionada por meus adversários políticos, porque era impossível se utilizar algo que nem existia. O primeiro computador da Avams foi doação do deputado Gil Pereira já no final do meu mandato como presidente”, explica Guedes. Seja como for, se a sentença de primeira instância por confirmada pelos desembargadores da 8º Câmara Cível nesta semana, o petista passa a ter no currículo decisão colegiada que o inclui no rol das inelegibilidades previstas na Lei da Ficha Limpa, justamente no momento em que está no ápice da sua meteórica carreira política.

Se a sentença lhe for desfavorável, Guedes certamente vai recorrer para não ficar de fora das eleições do próximo ano. Se reverter a decisão, como espera, vai retirar um peso enorme das costas, no que deixaria o advogado Fábio Oliva órfão de sua mais antiga bandeira e devotada empreitada de vida: encerrar, pela via judicial, a até aqui bem-sucedida carreira política do petista.       

“Tenho plena confiança na Justiça e a certeza de que esse erro absurdo será devidamente reparado pelo Tribunal de Justiça. Essa denúncia só tem o objetivo único de parar uma carreira política que sempre foi vitoriosa e que sempre esteve ao lado do povo e da região. Espero que a Justiça tome as providências necessárias, estou confiante na vitória de no reparo dessa decisão”, disse o petista em resposta ao site.  Fonte: www.luisclaudioguedes.com.br

 Economia
  28 Julho de 2017
13º PARA APOSENTADOS E PENSIONISTAS

O governo publicou um decreto no "Diário Oficial da União" desta sexta-feira (28) em que estabelece para agosto o pagamento da primeira parcela do 13º para aposentados e pensionistas. A parcela de agosto será correspondente a até 50% do valor do benefício do mês e será paga junto com os benefícios da folha mensal. Já a segunda parcela será paga em novembro.

Tem direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário como aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade.

Já para quem recebe auxílio-doença e salário-maternidade, o valor do 13º vai ser proporcional ao período recebido.

Aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao abono anual.

Depósitos

O pagamento da primeira parcela começará a ser depositado seguindo o calendário de pagamentos dos benefícios previdenciários do mês de agosto, para os segurados que recebem até um salário mínimo e possuem cartão com final 1, desconsiderando-se o dígito. Quem ganha acima do mínimo começa a receber a partir de setembro.

A segunda parte do abono será creditada na folha de novembro e o desconto do Imposto de Renda, se for o caso, incidirá somente sobre a segunda parcela da gratificação, segundo o Ministério da Fazenda.

Histórico

Em 2016, mais de 28 milhões de segurados da Previdência Social receberam o adiantamento do 13º a partir do dia 25 de agosto.

Desde 2006, o governo antecipa a primeira parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas na folha de agosto.

Em 2015, porém, em meio ao ritmo fraco da economia e a consequente queda da arrecadação, o governo, ainda sob o comando da presidente afastada Dilma Rousseff, só fez o pagamento da primeira parcela em setembro. Fonte: g1.com

 Manga
  28 Julho de 2017
UM SÉRGIO MORO NO SERTÃO?
Quem é o juiz que tira o sono de políticos no extremo Norte de Minas.

Atual titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Manga, no extremo norte-mineiro, o juiz João Carneiro Duarte Neto, tem sido chamado, nos bastidores, de o Sérgio Moro do sertão pelos políticos locais, em referência ao titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná, notório pelo combate à corrupção no âmbito da Operação Lava-Jato. A comparação começou a surgir depois que o magistrado condenou o atual prefeito do município, Joaquim Oliveira, o Quinquinha do Posto (PPS), a três perdas consecutivas de mandato e inelegibilidade pelo prazo de 14 anos, em duas ações civis públicas por improbidade administrativa.

João Carneiro estará em férias até 14 de agosto e não foi localizado pelo site para comentar a comparação com o juiz Moro. Fontes ouvidas pelo site para este texto corroboram a tese ao atestarem a qualidade técnica das fundamentações que utiliza em suas decisões. Traduzindo para linguagem popular: o magistrado é bastante duro em suas decisões, como acaba de descobrir o atual prefeito do município sede da Comarca.

Antes de ser transferido para Manga, João Carneiro atuou na Comarca de Rio Pardo de Minas. Uma passagem rápida, mas a tempo de condenar, em agosto do ano passado, dois ex-prefeitos, um ex-presidente da Câmara Municipal e, vejam só meus 17 leitores, um advogado, contratado irregularmente, sentenciados em quatro ações civis de improbidade administrativa. A exemplo do que acaba de acontecer em Manga, a suspensão de direitos políticos, a devolução de valores que não tiveram prestação de contas e o pagamento de multa civil foram algumas das determinações do juiz.

Atual diretor do fórum João Cunha Urtiga, e substituto na comarca do vizinho município de Montalvânia, o juiz João Carneiro é paraense de Xinguara, de onde saiu aos 15 anos para buscar o sonho de atuar na magistratura. Texto assinado por Lázzaro Gomes no site da Faculdade Cathedral, em maio de 2015, narra a trajetória de Carneiro Duarte. Aprovado em dois concursos para juiz (Minas e Rio Grande do Norte), ele diz que sempre teve o sonho de atuar na magistratura e atribui o segredo do seu sucesso ao “estudo solitário e o autodidatismo”.

“Eu sempre tive o sonho de ser juiz de Direito. Durante a Faculdade não fiquei restrito aos ensinamentos em sala de aula. Dediquei-me aos estudos para concursos públicos”, disse João Carneiro na entrevista que concedeu à Faculdade Cathedral.

Desde que assumiu a Manga, no início deste ano, o magistrado deu início a uma reviravolta que sacudiu a rotina da Comarca, com a tentativa de profissionalização da prestação de serviços judiciários e implementação do plano estratégico que busca reduzir o acervo processual que a Comarca, que tem jurisdição sobre seis municípios, acumulava há décadas – atualmente esse número é de 10.278 ações - número ainda bastante elevado, mas inferior aos mais de 15 mil processos que a Comarca contabilizava no passado. Em apenas um semestre, o número de processos em trâmite foi reduzido em pelo menos mil casos. Para a empreitada, Carneiro Neto conta com a participação e empenho do colega e titular da 1ª Vara Cível, Luiz Felipe Sampaio Aranha.

Entre os servidores do Tribunal de Justiça local, o magistrado João Carneiro é visto como uma espécie de workaholic. Ele não tem horário para deixar o Fórum João Urtiga da Cunha e adota ainda a rotina de trabalhar aos finais de semana. Os serventuários do Fórum João Urtiga começaram a entender na prática o significado da expressão dedicação ao trabalho, mas tem valido a pena: a Comarca perdeu sua habitual invisibilidade com o os atuais magistrados e volta e meia é citada em reportagens do portal do TJMG, com repercussão para todo o estado por meio das reproduções de sites especializados ou não.

Entre as iniciativas para reduzir o elevado número de processos existentes na Comarca, estão os mutirões para instrução e julgamento dos processos relativos à cobrança do Dpvat (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre), renegociação de dívidas com o Banco do Nordeste e as negociações que colocaram ponto final em contencioso trabalhista de algumas centenas de servidores públicos da Prefeitura de Jaíba, um dos municípios sob jurisdição da Comarca e responsável por quase metade da demanda por assistência judiciária local.

Somente no mutirão com devedores do Banco do Nordeste foram realizadas mais de mil audiências para solucionar dívidas em atraso, monitória, execução e embargos, com a soma de 692 acordos celebrados e 630 processos baixados arquivo com extinção declarada. O total de dívidas renegociadas foi de R$150 milhões. Em um único dia, com a mobilização de força-tarefa que reuniu mais de 70 pessoas.

O presidente da secional manguense da Ordem dos Advogados do Brasil, Walter Amaro, diz que o frenesi que tomou conta da Comarca é bem visto pelos advogados, porque reduz a pressão por solução dos processos que recebem de seus clientes. Casos que estavam parados há décadas nos escaninhos do fórum têm sido finalmente julgados e sentenciados. Amaro ressalta, porém, que toda nenhuma mudança tem aprovação unânime. Há quem reclame de iniciativas do diretor do Fórum João Urtiga, como a que limitou o acesso dos advogados aos servidores e a limitação de atendimento a apenas dois casos por vez. “No geral as mudanças são muito positivas”, elogia Amaro.

Ponte sobre o Rio São Francisco

A disciplina no trabalho o juiz carrega desde o início da carreira, do tempo em que atuou como policial rodoviário federal em Barra do Garças, no Mato Grosso, onde concluiu o curso de Direito, em 2008. Graduação iniciada algum tempo antes, durante sua estadia em Fortaleza, no Ceará. O juiz também atuou como delegado de delegado de Polícia Civil em Macapá, capital do Amapá. Morador de Manga desde o início do ano, João Carneiro tenta dar continuidade aos estudos, a despeito do isolamento da cidade.

Periodicamente, ele se desloca até Guanambi, na Bahia, onde faz mestrado numa instituição de ensino local. Em Manga, o magistrado ministrou, recentemente, palestra para alunos de um curso preparatório para concursos públicos organizados pelo ex-vereador Gil Mendes. Partidário de que a motivação e o esforço individual podem levar qualquer pessoa a superar seus limites, o magistrado planeja realizar um ciclo de palestras na Comarca ainda neste segundo semestre, além da implantação de curso preparatório para que jovens da microrregião de Manga possam participar de concursos do Judiciário.

Segundo uma fonte, ele tem já entabulou contatos com prefeituras e com a OAB com vistas à obtenção de apoios para conseguir transporte gratuito para pessoas interessadas em realizar cursos universitários em cidades da região. A proposta resgata antiga militância do magistrado, que chegou a dar aulas em uma escola preparatória para concursos no Mato Grosso, onde ministrou disciplinas como Legislação de Trânsito, Direito Penal e Processo Penal. A experiência, ele diz, foi relevante porque proporcionou a oportunidade para “aprender ensinando”.

Entre um compromisso e outro, o juiz prepara seus despachos que já tira o sono de políticos dos municípios da Comarca de Manga e ainda encontra tempo para fazer uma espécie de concertação que busca a construção de uma ponte sobre o rio São Francisco na travessia entre os municípios de Manga e Matias Cardoso, uma antiga reivindicação da região. João Carneiro participa da coordenação do movimento que busca pressionar os governos pela construção da obra. A iniciativa, que conta ainda com participação do juiz Luiz Felipe Sampaio Aranha e do Ministério Público local, realizou até agora três audiências com prefeitos, vereadores e lideranças regionais. O movimento já conseguiu uma vitória. O governo estadual anunciou a liberação de R$ 2,4 milhões para a realização do projeto-executivo da ponte.

As decisões do juiz João Carneiro contra o atual prefeito de Manga tira o sono e têm deixado mais grisalhos outros políticos com cargo ou não nos municípios vinculados à Comarca. Compará-lo a Sérgio Moro talvez ainda não seja o caso, mas é certo que sua passagem traz mudanças na Comarca. Uma delas, o fim daquele provincianismo que recomendava forçar aproximação com o magistrado com convites para recepções em salas e salões, tática que se julgava mais eficiente que estudar mais as jurisprudências e o entendimento das leis. Outra, a maior celeridade nas respostas que a tutela legal deve à cidadania. Fonte: luisclaudioguedes.com.br
 BR 135
  28 Julho de 2017
IMBRÓGLIO DA PONTE
Ministro dos Transportes sobrevoa BR-135 em Montalvânia e Cocos nesta sexta-feira para resolver imbróglio.

O ministro dos Transportes, Maurício Quintella Lessa, visita os municípios de Montalvânia, no Norte de Minas gerais e Cocos,no Oeste da Bahia, nesta sexta-feira(28), para avaliar as condições da ponte sobre o rio Carinhanha, na BR-135,no distrito de Pitarana.

Conforme informações do deputado Federal José Rocha (PR), antes o ministro vai sobrevoar um trecho da rodovia. Em seguida, vai até o local conhecer à ponte de construída de concreto há mais de 4 anos.

Os motoristas estão enfrentados problemas na travessia desde que atearam fogo na ponte de madeira, no dia 14 de junho. Após o ato criminoso, os motoristas estavam utilizando à ponte construída de concreto que passa dentro de uma propriedade particular. Os motoristas pagavam pedágio para ter acesso, mas desde 21 de julho, que o proprietário fechou o transito alegando quebra de acordo.

Na Bahia, há uma propriedade rural com área irrigada por pivô central, que o Governo Federal ainda não conseguiu desapropriar. Ao longo da semana, o dono da propriedade teria cobrado pedágio de R$ 100 dos motoristas interessados em fazer a travessia, após passar por uma porteira que dá acesso à cabeceira da ponte do lado baiano, onde a pavimentação da BR-135 ainda não foi concluída.

O proprietário suspendeu o pedágio, após várias reclamações dos usuários e questionamento sobre a legalidade do ato. A empresa Top Engenharia, que atua na região para construir o asfalto entre a cidade de Cocos e a divisa com Minas providenciou a construção de um aterro para facilitar o acesso à plataforma da ponte nova. Fonte:folhadovale.net

 Novidade
  27 Julho de 2017
CARTEIRA DE MOTORISTA NO CELULAR DEVERÁ VALER JÁ EM FEVEREIRO DE 2018
O Contran aprovou a criação da carteira de habilitação digital. Ela terá o mesmo valor jurídico do documento impresso e deverá começar a valer em fevereiro de 2018.

CELULAR
A habilitação impressa continuará a ser emitida, mas os motoristas interessados poderão também apresentar o documento pelo celular, podendo ser comprovado pela assinatura com certificado digital ou pelo QRCode – códigos de barra que podem ser escaneados. 

APLICATIVO
Os agentes de trânsito poderão consultar os dados dos documentos por meio de um aplicativo de celular, que está em fase de testes, que fará a leitura, como já é realizado com a carteira de motorista impressa. 

CADASTRO
Segundo o Contran, quando o serviço estiver em vigor, o motorista interessado deverá fazer um cadastro no portal do Denatran ou no Detran. Após o login, o usuário deverá usar uma senha sempre que for visualizar o documento.
 Energia elétrica
  27 Julho de 2017
CONTA DE LUZ DEVERÁ FICAR 5% MAIS CARA EM AGOSTO POR FALTA DE CHUVAS
A partir de agosto, a conta de luz deve ficar mais cara para o brasileiro devido à falta de chuva. Os reservatórios de água das principais usinas do Brasil, no Sudeste e Centro-Oeste – que atende 70% de todo o sistema – voltaram a secar em julho.

ENCARECER
Com isto, especialistas calculam que a bandeira vermelha, que foi acionada em abril e maio, deve voltar a encarecer a conta em agosto. A evolução das cores da bandeira tarifária indica que o custo de produção de energia no Brasil aumentou nos últimos meses.

IMPACTO
"Agosto já vai ser um mês de bandeira vermelha e o impacto disso na nossa conta vai ser um aumento de R$ 0,03 por quilowatt/hora e isso representa cerca de 5% de aumento na nossa conta de luz", diz um destes especialistas. 
 Curso
  25 Julho de 2017
APROVEITE
Aprenda redação e faça bonito no ENEM.

Os mais preparados sempre têm mais chances

Primeira aula grátis. Só ligar para garantir sua vaga

Participe do Sorteio

Compartilhe e marque três amigos e concorra a quatro vagas. Para você e para seus amigos marcados

Oportunidade única

É pra todo mundo estudar

#RedacaoEComFernandoAbreu

#OsMelhoresPassamPorAqui

#PraPassarNoEnem

#AprendaBrincando

 Transportes
  22 Julho de 2017
A PONTE QUE LIGA NADA A LUGAR NENHUM
Ministro dos Transportes promete ver in loco caso das pontes na divisa de Minas com a Bahia.

O jornalista Fernando Abreu apurou que o ministro dos Transportes, Maurício Quintella Lessa, prometeu visitar a divisa dos estados da Bahia com Minas Gerais, no traçado da BR-135, onde uma antiga ponte de madeira foi alvo de vandalismo há pouco mais de uma semana. Parte da estrutura foi danificada por um incêndio e o acesso aos dois estados, nos municípios de Cocos, na Bahia, e Montalvânia, em Minas, foi suspenso.

O problema é que existe ponte com 100 metros de extensão, sobre o rio Carinhanha, na altura do povoado de Pitarana a menos de um quilômetro da ponte interditada pelo ataque criminoso dos vândalos. Cinco anos após sua conclusão, a ponte liga nada a lugar nenhum, o que revolta ainda mais os moradores e motoristas que fazem o trajeto entre Minas e Bahia pela rodovia federal.

Do lado baiano da ponte de concreto, há uma propriedade rural com área irrigada por pivô central, que o Governo Federal ainda não conseguiu desapropriar. Ao longo da semana, o dono da propriedade teria cobrado pedágio de R$ 100 dos motoristas interessados em fazer a travessia, após passar por uma porteira que dá acesso à cabeceira da ponte do lado baiano, onde a pavimentação da BR-135 ainda não foi concluída.

Pedágio

A cobrança foi suspensa após reclamações dos usuários e questionamento sobre a legalidade do ato. A empresa Top Engenharia, que atua na região para construir o asfalto entre a cidade de Cocos e a divisa com Minas providenciou a construção de um aterro para facilitar o acesso à plataforma da ponte nova.

Segundo o repórter Fernando Abreu, que está no local, é grande a expectativa pela visita do ministro. Motoristas em trânsito pela região, proprietários das terras envolvidas e toda a população aguardam pela solução do imbróglio. A visita do ministro Lessa teria sido combinada com o governador baiano, Rui Costa, e deve acontecer na próxima sexta-feira (28). O prefeito de Cocos, o médico Marcelo Emerenciano, avalia que a visita ministerial vá colocar um ponto final no impasse, com a possível liberação da nova ponte. Fonte: luisclaudioguedes.com.br

 Reunião
  21 Julho de 2017
S.O.S. RIO COCHÁ
Prefeito e vice de Montalvânia participam de reunião sobre a elaboração de campanha para salvar o rio Cochá.

Medidas para salvar e preservar o rio Cochá estão sendo tomadas pelo prefeito Dr. José Ornelas e uma comissão preocupada e engajada nesta causa. Está sendo elaborada uma campanha de preservação do nosso rio que em breve será divulgada.

Nesta quinta-feira (20) o prefeito, o vice, Pedro Lopes, e parte da comissão se reuniram para planejar métodos de preservação deste rio, buscando meios para proteger sua nascente.

A reunião aconteceu na UAITEC Polo Montalvânia. Fonte: ASCOM

 BR 135
  21 Julho de 2017
BR135 BA/MG
Gestão ambiental.

Umas das funções da Supervisão Ambiental durante a fase de implantação da rodovia é inspecionar os níveis de ruídos emitidos pelas máquinas utilizadas nas frentes de trabalho. Para isso, a equipe utiliza um decibelímetro, que é um medidor de decibéis, para verificar se o barulho provocado pela movimentação na obra está dentro das normas. Os ruídos são medidos na área urbana e nos povoados localizados ao longo da BR-135 BA/MG a cada 15 dias e os pontos de coleta acompanham o avanço das obras. Depois disso são feitos relatórios que são encaminhados ao DNIT e ao órgão ambiental licenciador, no caso o Ibama.

DISTRITO DE MONTE REI – JUVENÍLIA
(LOTE 7.2 - BR-135/MG)

TREVO DE ACESSO À MONTALVÂNIA  
(LOTE 7.2 - BR-135/MG)

FRENTE DE TRABALHO EM CÔCOS 
(LOTE 5 | BR-135/BA)

 BR 135
  19 Julho de 2017
ESTADO AUSENTE INSPIRA ANARQUIA NA BR-135
Vândalos ateiam fogo em ponte de madeira sobre o rio Carinhanha na divisa de Minas com a Bahia.

Uma ponte de madeira localizada sobre o rio Carinhanha, na divisa dos estados da Bahia com Minas Gerais, no traçado da BR-135, foi alvo de vandalismo na noite do último sábado (15). Relatos de moradores do distrito de Pitarana, em Montalvânia, no Norte de Minas, ao portal ‘Folha do Vale’, dão conta que o ato pode ter sido motivado por uma espécie de protesto contra a situação precária da velha ponte de madeira, que há muito provoca apreensão entre os motoristas que são obrigados a fazer a travessia do Rio Carinhanha, em um dos principais pontos de acesso na divisa entre Minas e Gerais e Bahia naquela região.

Segundo os motoristas que transitam todos os dias entre Montalvânia e Cocos, no Oeste da Bahia, se já era ruim, a situação agora ficou ainda pior, pois a passagem pela ponte ficou mais arriscada. Não houve até agora perícia técnica que aponte eventuais riscos de desabamento em razão dos danos na estrutura.  “Antes já estava ruim, agora está difícil passar, tem que ariscar”, disse o sitiante. De acordo com os moradores, a intenção de quem ateou fogo talvez tenha sido para pressionar o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), para liberar o transito na ponte construída há mais de quatro anos, em outro ponto do Rio Carinhanha.

Esta é a segunda vez que a ponte, bastante precária, vira motivo de revolta pelo descaso oficial. Em outubro de 2015, moradores dos municípios Montalvânia, no extremo Norte de Minas Gerais, e de Cocos, na Bahia, ameaçaram atear fogo e pôr abaixo a ponte de madeira sobre rio Carinhanha. Cansados de esperar por providências do Governo Federal e do DNIT, os usuários da travessia ameaçaram levar ao extremo a indignação com as péssimas condições de conservação da ponte, situada na localidade de Pitarana, zona rural de Montalvânia.

Na ocasião, o então presidente da Câmara de Vereadores Montalvânia ildenes Justiniano Silva (PTB) lembrou que as precárias condições da ponte "são reflexo do descaso e da omissão das autoridades federais e estaduais com a região do extremo Norte de Minas".

Dois anos depois, o problema persiste. Destruir a ponte, com o propósito de interromper definitivamente o trânsito de veículos entre Minas Gerais e Bahia por aquele acesso seria uma forma, desesperada, mas estúpida, para forçar o DNIT e o Governo Federal a tomarem providências.

Construída há décadas, a velha ponte de madeira de Pitarana está em situação precária. As tábuas do piso se soltam com facilidade sob o enorme peso de carretas e caminhões que transportam gado para frigoríficos e carvão vegetal para siderúrgicas. Não existe nenhum policiamento ou serviço de balança para controlar o peso excessivo dos veículos que passam sobre a ponte. Seus corrimãos estão quebrados em vários locais há buracos no piso que levam perigo às crianças que atravessam a ponte para estudar em Pitarana.

Ponte nova liga nada a lugar nenhum...

A pouca distância da ponte de madeira, no curso da BR-135, o Governo Federal construiu uma ponte de concreto, de 100 metros de extensão, sobre o rio Carinhanha. Cinco anos após sua conclusão, a ponte liga nada a lugar nenhum, o que revolta ainda mais os moradores e motoristas que fazem o trajeto entre Minas e Bahia pela rodovia federal. Do lado baiano da ponte de concreto, há uma propriedade rural com área irrigada por pivô central, que o Governo Federal insiste em não desapropriar e em não indenizar as quase trinta famílias que cultivam no lugar. Este ‘Em tempo Real’ apurou que a ‘nova ponte’, como é chamada, foi liberada apenas para uso da empresa Top Engenharia, de Salvador, que montou canteiro de obras na região após vencer a licitação para o asfaltamento do subtrecho do asfalto da BR-135, entre a divisa de Minas até Cocos, na Bahia, com extensão de 22,9 quilômetros. A obra, que tem custo previsto de R$ 77 milhões e deveria ter sido concluída no último mês de abril. 

O estrago provocado pelos incendiários no último final de semana foi pequeno, porque o fogo apagou não sem antes abrir um buraco na estrutura de madeira do equipamento. Ainda assim, esse episódio aponta para um estado de anarquia, resultado do descaso oficial para com aquele pedaço esquecido do país.

A anarquia, como se sabe, é o sistema político com base na negação do princípio da autoridade, e ocorre naquelas situações em que a a percepção é de que não há mais governo. Não é ainda o caso da BR-135, onde a pavimentação da rodovia federal foi retomada há pouco no trecho baiano logo após a ponte sinistrada. Mas é quase isso, porque é inadmissível expor a população que paga impostos aos riscos permanentes da velha ponte de madeira, quando, ali ao lado, há outra ponte de concreto paga com o dinheiro do contribuinte sem uso há um bom par de anos.    Fonte: luisclaudioguedes.com.br

 Polícia
  17 Julho de 2017
FOGO NA PONTE
Vândalos ateiam fogo em ponte de madeira sobre o rio Carinhanha em Montalvânia.

Uma ponte de madeira localizada na BR-135, na divisa dos estados da Bahia com Minas Gerais, foi alvo de vandalismo na noite do último sábado, 15 de julho. Conforme informações de moradores do distrito de Pitarana, em Montalvânia, no Norte de Minas. O principal motivo do ato pode ter sido devido à situação precária da ponte de madeira, que há muito tempo vem dando dor de cabeça aos motoristas, vândalos tentaram incendiar a ponte, mas a tentativa acabou frustrada por que o fogo apagou.

Segundo os motoristas que transitam todos os dias entre Montalvânia e Cocos, no Oeste da Bahia, se já era ruim, agora ficou ainda pior, pois a passagem pela ponte ficou ainda mais prejudicada. “Antes já estava ruim, agora está difícil passar, tem que ariscar”, disse o sitiante.

De acordo com os moradores, a intenção de quem colocou fogo talvez tenha sido para pressionar o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), para liberar o transito na ponte construída há mais de quatro anos, em outro ponto do Rio Carinhanha. Fonte: folhadovale.net

 Política
  15 Julho de 2017
JULGAMENTO
TJMG remarca julgamento que pode deixar deputado estadual Paulo Guedes (PT) inelegível por 8 anos.

O Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) remarcou para as 9 horas de quinta-feira, 3 de agosto, o julgamento da ação em que o Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG) acusa o deputado estadual Paulo Guedes (PT) de pagar dívida particular com automóvel adquirido com recursos públicos e que poderá deixa-lo inelegível por oito anos. O político nega as acusações.

A ação nº 1107973-83.2004.8.13.0433 se arrasta na Justiça há 13 anos. Ela foi ajuizada em 2004 e chegou ao TJMG através de um recurso de apelação interposto pela defesa do parlamentar estadual. Em primeira instância, Paulo Guedes já foi condenado. Se a sentença for mantida pelos desembargadores da 8º Câmara Cível, o político terá contra si uma decisão colegiada e será apanhado pela Lei da Ficha Limpa, que veda aos políticos condenados o direito de disputar eleições.

É a terceira vez que o TJMG marca a sessão de julgamento do recurso. A primeira vez foi em 30 de novembro de 2016, a segunda em 2 de março de 2017 e a terceira para 3 de agosto de 2017.

De acordo com o processo, quando era presidente da Associação dos Vereadores da Área Mineira da Sudene, Paulo Guedes (na foto à esquerda) contraiu dívida com o jornalista Renato Lopes Santos de Carvalho (na foto à direita), também réu na ação. O jornalista, segundo o MPMG, foi contratado pelo parlamentar para confeccionar, dentro da AVAMS, edições do jornal Vale do Sol, que pertencia a Paulo Guedes.

Sem dinheiro para pagar o jornalista, Paulo Guedes deu em pagamento de sua dívida particular um automóvel adquirido pela AVAMS com dinheiro oriundo das Câmaras de Vereadores de vários municípios do Norte de Minas.

A Procuradoria de Justiça de Direitos Difusos e Coletivos do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG) emitiu parecer recomendando aos desembargadores que julguem improcedente o recurso do deputado e mantenham sem retoques a sentença de primeiro grau que condenou Paulo Guedes por ato de improbidade administrativa e suspendeu seus direitos políticos por oito anos. Fonte:blogdofabiooliva.blogspot.com.br

 Lei
  14 Julho de 2017
LEGISLAÇÃO DO TRABALHO
Publicada no Diário Oficial da União a lei que altera a legislação do trabalho.

A Lei nº 13.467, que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), está publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União.

DIÁLOGO

A lei foi sancionada ontem pelo presidente Michel Temer que disse que os direitos dos trabalhadores estão sendo preservados. Alguns pontos da lei serão alterados após novo diálogo com o Congresso. 

ALTERAR

O governo enviou aos parlamentares minuta com os pontos da medida provisória com a qual pretende alterar a reforma trabalhista.

 Transportes
  11 Julho de 2017
TRAVESSIA EM MANGA TEM NOVA EMBARCAÇÃO
Com custo de R$ 4,4 milhões, Balsa Califórnia tem capacidade para 65 veículos e oferece lanchonete a bordo.

Motivo de reclamações dos usuários do sistema ao longo dos últimos meses, a travessia sobre o Rio São Francisco entre Manga e Matias Cardoso, no extremo Norte de Minas, terá um reforço a partir desta terça-feira (11/7). A empresa concessionária do serviço, a Navegação Confiança, de Belém do Pará, começa a operar a Balsa Califórnia, com capacidade para transportar até 65 veículos simultaneamente.

A embarcação conta com serviço inédito de lanchonete a bordo e tem espaço para acomodar 196 passageiros em seus dois pavimentos, metade deles sentados, com vagas reservadas para portadores de necessidades especiais, idosos e grávidas, e a outra metade em pé.

A embarcação tem 54 metros de comprimentos por 12,5 de largura, com porte bruto de 622 toneladas e área útil superior a 600 metros quadrados em sua estrutura de dois andares. O diferencial da Balsa Califórnia serão os serviços de bordo oferecidos por uma lanchonete no segundo andar, onde os passageiros deverão ser instalados com mais segurança durante o tempo da travessia.

Segundo a Navegação Confiança, o investimento na embarcação foi da ordem de R$ 4,4 milhões, valor eu incluí o custo da plataforma da balsa, construída em estaleiro do próprio armador, além do rebocador e motor de propulsão. A travessia entre Manga e Matias Cardso passa a contar agora com três balsas. A chegada da Califórnia deve contribuir para a melhoria na prestação do serviço, que tem sido alvo de críticas por parte dos usuários desde que a empresa paraense assumiu a concessão, há pouco mais de um ano.

SINAIS TROCADOS

A Navegação Confiança foi a única empresa a participar da licitação lançada pela Secretaria de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais (Setop), no segundo semestre de 2015, já no governo do petista Fernando Pimentel. Antes disso, a Setop tentou licitar a travessia, ainda durante o mandato do ex-governador Antonio Anastasia (PSDB), mas não houve interessados no negócio, nem mesmo entre as seis empresas que atuavam no local naquela ocasião.

A concessão do serviço da travessia em Manga tem prazo previsto de 15 anos e vai até 2033, com potencial de geração de receitas da ordem de R$ 115 milhões durante o período. O governo de Minas, no entanto, dá sinais contraditórios em relação ao assunto.

Na semana passada, a Setop se posicionou de forma contraditória ao liberar o valor de R$ 2,4 milhões para a elaboração do projeto de engenharia da ponte sobre o Rio São Francisco, entre os municípios de Manga e Matias Cardoso. A vencedora da licitação realizada pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER/MG), foi a empresa Enecon - Engenheiros e Economistas Consultores, com sede em Belo Horizonte.

O projeto deve ficar pronto daqui a oito meses, mas o governo de Minas não tem dotação orçamentária para realizar a obra. A conclusão do projeto-executivo não garante a execução da obra da ponte, que depende ainda de previsão orçamentária dos recursos para efetivamente sair do papel. A decisão do governo estadual em autorizar o projeto básico, entretanto, é um passo importante para a concretização desse sonho que agora mobiliza lideranças de toda região, sob a liderança de autoridades ligadas ao Judiciário e o Ministério Público local, numa espécie de concertação suprapartidária em favor da ponte.

Se, e quando a ponte for construída, a concessão para a Navegação Confiança perde o objeto e validade. Fonte: www.luisclaudioguedes.com.br

 BR 135
  11 Julho de 2017
MINAS GERAIS / BAHIA
Veja como está o andamento das obras no Lote 5 da BR-135 BA, entre a divisa de Minas Gerais e Côcos/BA.

Confira alguns momentos registrados pela equipe Gestão Ambiental BR135 BA/MG

Fonte: Gestão Ambiental BR135 BA/MG

 BR 135
  08 Julho de 2017
TRÂNSITO SEGURO
O Programa de Educação Ambiental (PEA) aproveitou a oportunidade de realizar uma ação com os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Estadual de Monte Rei e promoveu uma roda de conversa sobre trânsito seguro.

Em poucas semanas as obras no Lote 7.2 serão finalizadas e a rotina dos moradores do Distrito de Monte Rei já está mudando com a rodovia pavimentada. Os participantes assistiram ao documentário “Luto em Luta” que trata dos acidentes de trânsito em São Paulo, com depoimento de vítimas, familiares e imagens de acidentes.

O objetivo foi passar orientações simples para os alunos, como o uso do cinto de segurança e capacete, não dirigir alcoolizado, respeitar os limites de velocidade, mas que podem salvar vidas. Fonte: Gestão Ambiental BR135 BA/MG